Gírias do mundo do Bitcoin
Categorias:

As gírias do mundo Cripto: entenda os termos do Criptonário do Bitcoin

A criptoeconomia através do Bitcoin está atraindo cada vez mais a atenção de investidores e se estabelecendo como uma alternativa mais rentável às operações no mercado financeiro. Por isso, ao longo desses 10 anos de existência do Bitcoin, surgiram diversas criptomoedas – e com elas, centenas de termos técnicos e gírias utilizados para embasar uma comunicação mais específica do mundo cripto.

Para ter mais segurança na hora de investir, é importante conhecer os termos e os conceitos mais utilizados no universo cripto. Algumas dessas palavras podem até parecer complexas, mas vamos explicar cada uma delas e seus conceitos. Isso porque queremos garantir que os investidores, até o final da matéria, se sintam mais confiantes e possam aproveitar tudo que as criptomoedas podem oferecer.

Entenda os termos e os conceitos para realizar investimentos mais seguros e usar seus criptoativos no dia a dia.

Criptonário do Bitcoin

Altcoin

É o nome dado às moedas virtuais que surgiram após a criação do Bitcoin. Por exemplo: Litecoin, Dogecoin, etc.

AML – Anti-Money Laundering

Em português: Anti-Lavagem de Dinheiro. São técnicas utilizadas para barrar a lavagem de dinheiro, como receber dinheiro apenas via transferência bancária e do próprio titular da conta – como as exchanges brasileiras e o Alter já fazem.

Ativos Digitais

Este termo é utilizado para se referir a qualquer cripto ou token. E também é possível encontrar variações, como ‘criptoativos’ ou apenas ‘ativos’.

ASIC – Application Specific Integrated Circuit

Em português, Circuito Integrado de Aplicação Específica. Ou seja, trata-se de um chip criado especificamente para realizar uma tarefa. No caso do Bitcoin, por exemplo, foram criados ASICs para processar um hash SHA-256 e minerar bitcoins.

Baleia

O termo ‘baleia’ se refere às pessoas ou empresas que possuem grandes quantidades de criptomoedas. Isso quer dizer que os movimentos e transações realizados pelas ‘baleias’ podem influenciar e condicionar o mercado quando compram ou vendem seus criptoativos.

Bear

O termo ‘Bear’ vem do inglês e quer dizer urso. Esse é um tipo de investidor pessimista em relação a recuperação do mercado: assim que o preço da criptomoeda baixa, ele já as vende.

Bearish

Significa o comportamento agressivo, de cima para baixo, do gráfico da cotação do bitcoin. Isso é caracterizado por uma descida grande e uma subida curta.

Bid

O ‘bid’, a ‘proposta’, é o valor que o comprador está disposto a pagar pela transação.

Bitcoin – BTC

O bitcoin é uma moeda virtual que foi criada em 2008. E sua principal característica é ser completamente descentralizada, possibilitando que transações sejam realizadas sem intermediários. Também é muito utilizada em sua forma abreviada: BTC.

Blockchain

Blockchain = cadeia de blocos. Funciona como um imenso livro caixa público, onde são registradas todas as transações de forma rápida e segura. E que facilita o processo de registro de transações e o rastreamento de ativos em uma rede empresarial.

Nesse ‘livro’ virtual ficam registradas de forma pública todas as informações ou dados sobre um processo específico. Se tratando de uma tecnologia de registros criptografados, não precisa de intermediários e todos os computadores podem ter acesso a todas as transações realizadas.

Block Explorer

É um site – ou programa para o computador – que possibilita a visualização das transações, endereços, blocos e qualquer informação de uma blockchain e de uma criptomoeda específica. Também pode ser chamado de ‘Blockchain Browser’.

Bloco Gênesis

Esse foi o nome do primeiro bloco do Bitcoin, minerado por Satoshi Nakamoto.

Bull

‘Bull’ significa touro em inglês – e é o contrário de ‘Bear’. Sendo assim, são mais otimistas e acreditam no aumento do preço de um ativo mesmo em queda. Este investidor costuma comprar a moeda quando seu preço está baixo para lucrar quando o ativo valoriza.

Bullish

Ao contrário de ‘Bearish’, se caracteriza pelo comportamento agressivo do gráfico da cotação do bitcoin de baixo para cima. Ou seja, por uma subida grande e uma descida curta.

Candlestick

Candlestick é a representação gráfica do preço de um ativo. Em outras palavras, nela é possível visualizar os preços de abertura, alta, baixa e fechamento dentro de um determinado período de tempo.

Criptografia

É um conjunto de codificações criadas para proteger uma informação de uma forma que somente quem emite e recebe pode compreender.

Criptomoeda

Todas as moedas virtuais que usam a criptografia para garantir segurança e preservar as informações dos seus investidores e usuários são chamadas de criptomoedas. 

Cold Storage

É a movimentação de criptomoedas offline, ou seja, o armazenamento das criptos em carteiras físicas, geralmente dispositivos que se assemelham a pendrives.

DDoS

‘Distributed Denial of Service’, em português ‘Ataque Distribuído de Negação de Serviços’. Esse é um tipo de ataque que conta com uma grande quantidade de computadores sob o controle de um hacker, utilizados para enviar pequenas quantidades de tráfego pela internet com a finalidade de congestionar o acesso – e assim usufruir dos recursos de um servidor alvo.

Dump

Este é o termo utilizado para se referir a uma queda brusca na cotação de uma criptomoeda. Ou seja, o valor de compra ou venda baixou subitamente? É um ‘dump’.

Dust transaction

É uma transação ‘de poeira’ (‘dust’), ou seja, com baixo valor financeiro, mas que ocupa espaço no blockchain.

Exchange

Exchange é como se costumam chamar as corretoras de criptomoedas. Portanto, por essas instituições licenciadas é possível comprar, vender e transacionar as moedas digitais com segurança.

Fee

Literalmente, ‘taxa’. Podem ser taxas de transação, conversão, transferência, saque, etc.

Fiat

‘Fiat’ se refere ao dinheiro fiduciário, que significa todo aquele que não é criptomoeda. Por exemplo, o dólar, o euro, o real, etc.

FOMO

Este termo é muito utilizado por investidores e significa ‘Fear Of Missing Out’, o medo de estar perdendo uma oportunidade. Ou seja, está relacionada ao receio de perder uma janela de investimento que poderia gerar lucro.

Fork

Um ‘fork’ é a bifurcação da blockchain de determinada criptomoeda que cria, então, uma nova moeda. Por exemplo, o BTC Cash é um ‘fork’ do Bitcoin.

Full Node

O ‘Full Node’, um ‘nó completo’, é um programa que possui as regras do consenso da rede Bitcoin e é uma cópia completa do blockchain. É importante ressaltar que nem todo ‘full node’ é minerador, mas todo minerador é um ‘full node’.

Halving

Halving é o evento que reduz em 50% a recompensa dada aos mineradores pelo seu trabalho de minerar bitcoins. Esse fenômeno possui grande impacto sobre o valor da criptomoeda.

Hash

Hash é o número de transações que foram realizadas em um bloco. O hash é representado por letras e números e é tido como uma impressão digital de cada bloco minerado.

Hold (também visto como Hodl)

Este termo se refere ao ato de segurar e guardar a criptomoeda. Também é utilizado como verbo: ‘holdar’ ou ‘hodlar’.

Input

Endereço de origem de uma transação bitcoin. E uma única transação pode ter diversos endereços de origem, ou seja, vários ‘inputs’.

Kilohashes/sec – kH/s

Significa o número de tentativas possíveis de resolver um hash em um dado segundo, medido em milhares de hashes.

KYC

A sigla KYC significa em inglês ‘Know Your Customer’, ‘Conheça seu Cliente’. São políticas que instituições governamentais estabelecem às empresas para conhecer melhor seus investidores, verificando dados e documentos dos seus clientes.

Ledger

Assim como um livro caixa de um banco, o ‘ledger’ é onde ficam registradas todas as transações feitas por criptomoedas que passam pela blockchain.

Liquidez

A capacidade de comprar ou vender ativos com mais facilidade.

Market Cap / Market Capitalization

Em português quer dizer ‘capitalização de mercado’. No contexto do bitcoin, trata-se da quantidade de criptos que circulam e o seu preço no mercado.

Maker

Maker é o termo que se usa quando uma ordem é incluída, porém não é negociada na hora. Por isso, essa ordem se mantém no livro de ofertas e espera que outra pessoa envie uma nova ordem contrária para que ela seja executada.

Mineração / Minerador / Minerar

É o ato de realizar cálculos matemáticos por meio de supercomputadores. Desse modo, quando um computador realiza esse cálculo criptográfico, ele recebe uma recompensa em bitcoin. Quem realiza essa ação é chamado de minerador.

Megahashes/sec – MH/s

Diferente do kH/s, o MH/s é o número de tentativas possíveis de resolver um hash em um dado segundo, medido em milhões de hashes.

MicroBit – µBTC

Significa a milionésima parte de 1 bitcoin (0.000001 BTC).

MiliBit – mBTC

A milésima parte de 1 bitcoin (0.001 BTC).

Mixer

O Mixer é um serviço que embaralha ‘inputs’ e ‘outputs’ de transações. Ele tem o intuito de manter a privacidade e diminuir o nível de rastreamento.

É um dispositivo que fica conectado na rede Bitcoin e, por meio de um programa de computador, retransmite transações para outros ‘nós’, criando assim uma rede descentralizada.

Output

Diferente do ‘input’, a origem, o ‘output’ é o destino de uma transação bitcoin. E também é possível que uma transação tenha múltiplos ‘outputs’.

P2P

P2P vem do termo ‘peer-to-peer’, que em português significa ‘ponto-a-ponto’. Isso quer dizer que não precisa de intermediários, como bancos centrais, para executar ou validar uma transação entre duas pessoas. No mercado cripto, este termo também é utilizado para descrever a comercialização de criptomoedas entre duas partes – ou seja, sem a necessidade de uma exchange.

Paper Wallet

Trata-se de uma carteira, literalmente, de papel, que contém suas chaves privadas e públicas. É considerado um meio muito seguro de guardar suas criptomoedas, justamente por ser offline e, assim, correr poucos riscos.

Pool

É uma coleção de mineradores que se juntam para minerar coletivamente um bloco – e depois dividem a recompensa entre si. O objetivo desta ação é encontrar uma maneira mais rápida de resolver um problema matemático e garantir a recompensa em cripto para o ‘pool’.

PoW – Proof of Work

É uma prova de que uma transação foi validada e é legítima, obtida por meio de uma função matemática (a SHA-256). Assim, as transações são codificadas e enviadas para a rede, onde os mineradores competem entre si para decodificá-las.

Preço Ask

Basicamente, o preço mínimo que um alguém estaria disposto a aceitar para vender seu ativo.

Profit

Lucros obtidos.

Pump

Quando o preço de uma moeda sobe de forma inesperada – o oposto de ‘dump’.

ROI – Return over Investment

Abreviação, em inglês, de ‘retorno sobre o investimento’. Ou seja, o retorno que se tem baseado no quanto você investiu.

Satoshi

A menor fração de um bitcoin (0.00000001 BTC). 

Satoshi Nakamoto

É o pseudônimo do criador do Bitcoin.

Scam – Scamcoin

Scams são golpes aplicados por sites que oferecem propostas de ganho financeiro rápido para se aproveitar de pessoas. A Scamcoin é uma altcoin falsa, criada com o objetivo de aplicar golpes em seus usuários e enriquecer seus desenvolvedores.

SHA-256

Essa sigla corresponde a uma função matemática do tipo hash, utilizada em contextos diferentes dentro da rede cripto Bitcoin. Pode, inclusive, ser usada durante o processo de mineração.

Stablecoin

Stablecoins são criptomoedas criadas para minimizar a volatilidade do seu preço. Para isso, são pareadas a outro ativo estável, como moedas fiduciárias, ou a uma cesta de ativos. Com este lastro, stablecoins se tornam ativos mais estáveis.

Taxa de Transação – Transaction / Mining Fee

Ao realizar uma transação, cada usuário da criptomoeda gera uma taxa – fornecida para transferência de fundos, execução de funções previstas em contratos inteligentes e transferência de tokens. Dessa forma, essa taxa também é chamada de taxa dos mineradores ou de mineração. Quem realiza ou valida as transações é recompensado com uma pequena fração em cripto.

Token

Token é a representação de um ativo, podendo representar a porcentagem de uma empresa (como uma ação), ou mesmo ser utilizado como dinheiro dentro de uma plataforma específica.

Trade

Trade são as operações de compra e venda de criptomoedas aproveitando a volatilidade do mercado e do próprio ativo.

Volatilidade

Volatilidade é o meio de medir as variações do valor de uma cripto. Assim, quanto maior for a sua variação em um curto período de tempo, maior é sua volatilidade. Essa é uma das principais características das criptomoedas. 

Wallet

Wallet são as carteiras utilizadas para guardar criptomoedas. Com elas é possível transacionar criptoativos, consultar os saldos virtuais e realizar transações no dia a dia. 

Withdrawal

Retirada de algum valor, como um saque.

XBT

Outra forma de representar a unidade monetária do bitcoin, sendo ainda o BTC a sigla mais comum. É uma abreviação que segue o padrão internacional (ISO), onde o X no início é utilizado para representar uma moeda ou ativo que não é associado a nenhum país específico.

Após compreender todos os principais termos utilizados no dia a dia dos investidores de bitcoins, você já está a um passo do futuro. Existem diversas maneiras de você aprender sobre bitcoins e criptomoedas, como por meio de palestras e cursos gratuitos online. Se ainda quiser entender mais do universo cripto, disponibilizamos matérias semanais para que nossos clientes estejam preparados para sua compra e venda de bitcoins aqui no Alter.

Dessa forma, compreender e revisar os conceitos e as expressões mais comuns no mundo cripto é fundamental para realizar os investimentos e assim entrar nesse mercado de forma mais confiante. 

Então, se você ainda não tem uma AlterConta, agora é a hora! 

Abra agora mesmo!