Categorias:

O que é uma carteira de criptomoedas e como funciona?

Uma carteira de criptomoedas nada mais é do que uma espécie de conta digital que permite aos usuários de criptomoedas armazenar e recuperar seus ativos digitais. Do mesmo modo que acontece com as moedas governamentais (Fiat money), você também precisa de um lugar para armazenar e guardar seus criptoativos.

Quando o usuário adquire uma criptomoeda – como o Bitcoin, por exemplo – ele pode armazená-la para fazer transações. As carteiras de criptomoedas são o meio mais fácil para o envio e recebimento, além de garantir a propriedade do saldo para o usuário.

Essas carteiras não apenas guardam suas moedas digitais, mas também as protegem com uma chave privada exclusiva. Ela garante que apenas o usuário (e qualquer pessoa a quem ele forneça o código) possa acessar sua carteira. Pense nisso como uma senha de conta bancária online.

Como funciona uma carteira de bitcoin?

Como o Bitcoin opera em um livro razão digital e seguro, chamado blockchain, é importante que você tenha controle e proteja seu código de acesso para evitar que terceiros possam invadir sua carteira. E caso você perca sua chave, é possível que perca o acesso à sua quantia de criptomoedas. Então fique atento e guarde sua chave em segurança!

Muitas carteiras de criptomoedas são descentralizadas e protegidas por criptografia – o que significa que não há um número de uma central de atendimento ao cliente para você ligar e, ao provar sua propriedade e identidade, redefinir sua senha. 

Estima-se que 20% de todo o bitcoin em circulação atualmente esteja perdido em carteiras digitais que os usuários não podem acessar. É uma cifra que atinge um valor de bilhões de dólares!

Quais carteiras de criptomoedas existem no mercado?

Existem diversos tipos de carteiras disponíveis no mercado, mas trouxemos os 3 exemplos mais utilizados atualmente. Veja a seguir:

1 – Carteiras quentes (Hot wallets)

O tipo mais fácil de utilizar chama-se carteira quente (hot wallet). Normalmente é fornecida por algum serviço online, como as exchanges. É chamada quente pois é possível acessar os ativos de onde quiser por meio de um computador ou dispositivo móvel – é preciso apenas conexão à internet.

Para se ter uma hot wallet, é necessário se registrar no site do serviço ou instalar algum app específico. Clique aqui e saiba como abrir uma conta no Alter e ter todos os benefícios na palma da sua mão!

2 – Carteiras mobile e por software: full-node ou leves (light)

Enquanto as carteiras quentes são baseadas na nuvem, as chamadas carteiras mobile/software são armazenadas localmente, mas conectadas à internet. Esse tipo de armazenamento é feito por meio de um programa instalado no seu PC ou smartphone que cuida das suas chaves públicas e privadas, assim como das suas transações.

3 – Carteiras frias (cold wallets)

Se existe algo quente, também deve existir algo frio – e de fato, as chamadas carteiras frias também estão por aí! São literalmente pedaços físicos de hardware. Normalmente parecem com um pen-drive e precisam ser conectadas a um computador ou smartphone para funcionar.

Na verdade, um velho pen-drive USB comum também pode ser usado como uma carteira fria, mas carteiras de hardware especializadas – que utilizam um chip ‘Secure Element’ para gerenciar a criptografia e manter suas chaves protegidas – são preferíveis.

O que considerar ao escolher uma carteira de criptomoedas?

Lembre-se que, no meio de tanta opção, é importante escolher algo que seja prático para você e que se adapte ao seu perfil.

Como mencionamos acima, existem diversas opções no mercado. E aqui vão algumas dicas:

1 – Pense em como você vai usar suas criptomoedas

Para alguém que frequentemente negocia e utiliza seus ativos, a melhor carteira pode ser a móvel ou web (hot wallets). Já alguém que mantém muitas criptomoedas como um investimento de longo prazo pode se sair melhor usando um armazenamento físico (cold wallet).

2 – Pesquise a reputação de uma carteira

Reserve um tempo para ler comentários sobre a experiência do usuário, recursos extras e, é claro, segurança. Preste atenção se uma carteira já foi hackeada e evite aquelas que sofreram violações graves no passado.

3 – Pesquise as opções de backup da carteira

Algumas carteiras permitem que você faça backup de seus dados. Dessa forma, se o seu computador ou dispositivo móvel travar, você poderá recuperar o acesso às suas moedas. Se você planeja possuir uma grande quantidade de cripto, pode priorizar carteiras que permitem fazer backup completo de seus dados.

Não existe uma única carteira que armazene todas as criptomoedas existentes. Portanto, você precisará descobrir quais carteiras se encaixam no seu perfil com base em quais moedas deseja investir ou usar.

Agora que você já sabe o que são carteiras de criptomoedas e como armazenar seus bitcoins, que tal começar a criar a sua? Se ainda não é cliente, abra já a sua conta no Alter e aproveite!