Categorias:

Investimento em criptoativos: como fazer uma alocação de patrimônio saudável

O investimento em criptoativos nunca foi tão atraente. A alta impressionante do Bitcoin, a valorização contínua do Ethereum e o mercado promissor do DEFI está atraindo cada vez mais investidores. Nesse sentido, é importante estudar as estratégias de investimento e considerar a melhor forma de alocação de patrimônio. Hoje vamos passar alguns pontos importante a serem considerados nesse sentido, e as opções interessantes de investimento em criptoativos nesse contexto.

O contexto é favorável para investimentos em criptoativos

A economia brasileira foi profundamente atingida pelas diversas crises sanitária, econômica e política de 2020. Os impactos foram diversos, como a desvalorização do real em relação ao dólar – até outubro de 2020, a moeda americana havia acumulado uma alta de 40%; os impactos no consumo, a inflação crescente, o desemprego… os obstáculos enfrentados não foram poucos e ainda não foram superados.

E a criptoeconomia nessa história? Diversos especialistas consideram que este foi um período teste para o mercado cripto. Como seria sua performance frente a tantos desafios e incertezas? Segundo o Cointelegraph, o saldo do de 2020 não poderia ser mais positivo: máxima histórica superada, preço do Bitcoin acima de R$ 120 mil, R$ 100 bilhões em negociações declaradas.

O desempenho impressionante do BTC, que iniciou o ano com uma valorização de 35% frente ao real, só no mês de janeiro. Em outubro, a criptomoeda já havia alcançado sua máxima histórica no Brasil, negociada a mais de R$ 70 mil. Ao final do ano, a valorização já estava no patamar de mais de 300%, com o BTC sendo negociado por R$ 120 mil.

Com esse cenário positivo estrelado pelo BTC e acompanhado por outras criptomoedas, como o Ethereum que teve uma valorização de nada mais nada menos que 667% de janeiro de 2020 a janeiro de 2021, o Brasil registrou um aumento de 70% dos investimentos em criptoativos em 2020.

O mercado aquecido e as promessas de altos rendimentos são de fato muito atrativos, porém é fundamental determinar estratégias de investimentos e fazer uma alocação de patrimônio saudável.

Como fazer uma alocação saudável do seu patrimônio?

Especialistas sugerem que o investimento em criptoativos deve ser realizado de forma cautelosa, com comprometimento de cerca de 1% a 2% de seu patrimônio, e com limite máximo de 5%.

Essas determinações dependem de algumas variáveis como seu capital financeiro e o seu perfil de risco. Entre os tipos de investidores baseado no seu perfil de risco, você pode se enquadrar em três categorias: conservador, moderado ou arrojado. A sua tolerância ao risco é o termômetro que vai definir em qual categoria você vai se encaixar.

Perfil conservador

Para um perfil conservador, o aspecto ‘segurança’ é fundamental em seus investimentos. Como o mercado cripto pode ser muito volátil, é mais indicado que uma parcela menor do seu patrimônio seja investida em criptoativos, pelo menos até que se adquira maior conhecimento sobre os ativos nos quais se pretende investir, visto que sua natureza inicial é a de proteção patrimonial.

Perfil moderado

Para um perfil moderado, a segurança ainda é um fator importante, porém já se percebe uma tolerância a riscos no longo prazo. Por possuir maior conhecimento de mercado, essa categoria de investidores já possui maior conhecimento do mercado e procurar equilibrar rentabilidade e risco, porém está até disposto a enfrentar algumas perdas.

Perfil arrojado

Para um perfil arrojado, uma boa rentabilidade é um aspecto essencial, exposições razoáveis ao risco são aceitáveis no médio prazo e compreendem que perdas no curto prazo podem ser importante para ganhos mais altos a longo prazo. Seu conhecimento de mercado é elevado, e sua estratégia para acompanhamento das oscilações também é mais estruturada.

Características do mercado de criptoativos

O mercado de criptoativos possui algumas características importantes que devem ser estudadas antes de se aventurar em novos investimentos, como: (a) alta volatilidade e (b) falta de regulamentação (muito embora isso seja considerado um atrativo para grande parte dos investidores da criptoeconomia). Dessa forma, perfil moderados e arrojados podem estar mais aptos a este tipo de investimento.

A diversificação é um ponto relevante. A maior parte dos investidores investe em diferentes classes de ativos, e criptoativos entram como alternativas de diversificação dentro de suas cestas de investimentos.

Conhecimento também é uma ferramenta fundamental para se aventurar nesse tipo de investimento, e alocar seu patrimônio de uma forma consciente.  Assim, antes de concretizar seu investimento, é importante estudar e acompanhar o mercado. Para além disso, vale conferir relatórios de especialistas tanto para encontrar boas oportunidades com alta rentabilidade (e o mercado aquecido apresenta inúmeras opções) e, principalmente, ter consciência dos riscos e das oportunidades encontradas.

Vale ressaltar novamente as fatias de investimento. Fatias pequenas, variando de 1% a 2% do patrimônio, são as indicações para investimentos em criptoativos, com parcela máxima de 5%.

Após esse estudo minucioso, cabe ao investidor encontrar instituições confiáveis e que não prometam lucros exorbitantes a curto prazo. Cheque a reputação das instituições com as quais você pretende realizar seus investimentos para não ser surpreendido com golpes.

O investimento em criptoativos continuará a revolucionar o mercado financeiro. As oportunidades não vão parar de surgir e o desempenho deste tipo de ativos continuará a atrair toda a sorte de investidores.