Categorias:

O que é um fork?

Fork. No universo cripto, é comum se deparar com palavras e expressões que podem nos deixar confusos – principalmente quem está se iniciando nesse mundo da tecnologia blockchain. Mas não se preocupe, estamos aqui para te ajudar! Neste artigo, discutiremos sobre os forks: o que são, como funcionam e quais são suas causas e efeitos na criptoeconomia.

O que é fork?

No início, havia o Bitcoin, que foi projetado para funcionar como uma alternativa digital descentralizada ao dinheiro. Com o tempo, moedas mais especializadas apareceram, como a Ripple e a Monero. Mas essas novas criptomoedas não surgiram do nada; surgiram como resultado de uma bifurcação – em inglês, fork. Em seu sentido mais amplo, um fork é simplesmente uma mudança no protocolo blockchain que o software usa para decidir se uma transação é válida ou não. Isso significa que quase qualquer divergência no blockchain pode ser considerada um fork.

Os forks podem ser iniciados por desenvolvedores ou membros de uma comunidade de criptografia que estão insatisfeitos com as funcionalidades oferecidas pelas implementações de blockchain atuais. 

Atualmente existem 2 modalidades de fork: os soft forks e os hard forks. Vamos entendê-los melhor?

Fork

Hard fork

Hard fork é qualquer modificação que quebra a compatibilidade com versões anteriores. É uma mudança radical no protocolo de uma rede que torna válidos blocos e transações que anteriormente eram inválidos (ou vice-versa).

Um hard fork requer o apoio da maioria – ou um consenso – dos detentores de moedas com conexão à rede. Para que um hard fork seja adotado, é necessário que todos os usuários atualizem para a versão mais recente de software do protocolo, permitindo que seja possível o uso da nova criptomoeda e de seu respectivo blockchain.

Soft fork

Soft fork é qualquer mudança que mantém a compatibilidade com versões anteriores.

Um soft fork realiza modificações simples, preservando a maior parte do protocolo original e corrigindo apenas pequenas falhas de performance que não comprometem a moeda como um todo. Para serem bem-sucedidos, os soft forks exigem a maior parte do poder de hash da rede. Caso contrário, existe um grande risco de se tornarem órfãos da rede ao formar uma cadeia menor – essencialmente se configurando como uma “bifurcação

fork

Quais criptos surgiram com o fork do Bitcoin?

Até o momento, já entendemos que um fork nada mais é do que uma atualização no código de uma determinada criptomoeda, algo que acontece para corrigir falhas, adicionar novas funcionalidades ou realizar melhorias. Também vimos que estas atualizações podem percorrer 2 caminhos, mais ou menos radicais: os hard forks e os soft forks.

Sendo a criptomoeda precursora que deu início ao universo cripto, o Bitcoin já passou por alguns hard forks que deram origem a outras moedas. A seguir, alguns exemplos de moedas que surgiram de forks do Bitcoin.

Bitcoin Cash

Bitcoin Cash foi um hard fork do Bitcoin que aconteceu em 2017. Os principais motivos que levaram a comunidade da rede a divergir e criar um fork foram as altas taxas da moeda original e seu maior tempo de processamento.

Bitcoin Gold

O fork do Bitcoin Gold aconteceu em 2018. A grande discordância dentro da comunidade que causou a bifurcação foi a centralização da rede do Bitcoin nas mãos de grandes mineradoras – o que vai totalmente contra dois dos princípios da tecnologia das criptomoedas: a democratização do acesso e a descentralização dos recursos.

Litecoin

Fazendo parte do dinâmico universo da tecnologia, as moedas digitais também passam por constantes inovações. Assim, um fork pode ter um impacto substancial na trajetória de uma criptomoeda, considerando que frequentemente existem visões diferentes para o futuro de algumas delas. Essas divergências podem levar a um ponto em que os usuários e mineradores sentem que não têm escolha a não ser seguir seus caminhos separadamente. Então, em casos de hard fork, novas moedas são geradas no mercado.

Agora que você já sabe mais sobre fork, não deixe de conferir nosso artigo sobre a Taproot – a mais nova atualização do Bitcoin.